quinta-feira, 5 de março de 2009

A Evolução da Baby C

"Porque eu tô aqui há oito meses!" by Aline (frase recorrente da amiga Aline que já esta aqui há mais de oito meses mas não para de falar isso com tom de indignação, cara de nojo e o dedo indicador e polegar juntos pressionando entre os olhos)

Eu não estou aqui há exatamente oito meses, não ainda mas quase. A Baby C fez oito meses essa semana e eu nostalgica como sou não consigo parar de ficar boba com o quanto ela cresceu e evoluiu. Ai você vem e me diz, duh! cresceu como todo e qualquer bebê. Mas gente ser testemunha e parte atuante desse desenvolvimento é uma parada louca. Me dá um orgulho absurdo.

As vezes eu me acho uma au pair muito sentimental. Nunca vejo outras au pairs falarem das suas crianças com tanto orgulho como eu sinto pela Baby C. Não desmerecendo nenhuma outra au pair. Eu sei que todas (ou quase) nós nos envolvemos até certo ponto. Mas eu sinto necessidade de falar sobre isso o tempo todo e não tem um dia que passe sem eu olhar pra ela e pensar, jesus outro dia mal abria os olhos e agora não tira o olho da minha comida (ou coisa do tipo).

Pra vocês terem uma ideia, quando a semente baby C foi plantada em minha vida (nossa que brega) ela não tinha nem nome ainda. Eu vi ultrassom, fiz presença virtual no chá de bebe e fiquei sabendo do nome antes mesmo dos proprios pais terem certeza. No dia que ela nasceu eu acompanhei noticia por noticia. Horas de espera até saber que era uma menina saudavel e enorme. A vi pela primeira vez com 11 dias de vida, via skype, sleeping like an angel (dormindo feito um anjo).

Quando eu conheci ela de verdade e a segurei pela primeira vez ela tinha exatamente 3 semanas. Eu tive muito medo da responsabilidade por ser tão novinha, mas desde o começo já vi que ela era muito doce, muito calma e muito forte e nunca duvidei da minha capacidade. Demorou pra eu ouvir ela chorar de verdade. Lembro que ela fazia muito coco, meu deus! Um dia devo ter ficado uns dez minutos numa unica troca, porque ela começou a fazer cocô e não parava. Eu sempre cuidava dela só demanhã naquela época e era o única hora do dia que ela fazia cocô. É, essa vida de au pair...

Com um mês ela descobriu a mão e ficava horas observando o punho fechado. Se apaixonou pelo mobile (cuja musiquinha me colocou a beira da insanidade). Deu seu primeiro sorriso que até hoje não sei se foi proposital. Com dois meses descobriu o pé e queria colocar na boca de qualquer jeito. Era muito engraçado como ela fazia um esforço tentando levar a cabeça até o pé. Ai começou a fase oral dela. Desde então tudo que a interessava ela abria a boquinha de passarinho e ia com a cabeça já que não conseguia ainda pegar com a mão. Deu sua primeira risada também, aquela que vem la de dentro da garganta. Nunca, jamais vou me esquecer como foi bom ouvir. Odiava tummy time tanto que se virou um dia da barriga pras costas. Fazia o que o A chamava de sit up (abdominal) ela segura meus dedos indicadore e eu puxa e ela sentava toda orgulhosa.

Três meses, primeira viagem de avião. Um verdadeiro anjo. Já colocava a mão na boca e começou a ter seus ataques de choro por causa das suas serias dificuldades de dormir de dia. Ela pegava no sono no colo mas se deitasse ela em qualquer lugar ela acordava. Se vestiu de vaquinha na fazendo onde foi o casamento da tia I e foi o sucesso dos sucessos. Na volta, ao invés de fazer sit ups começou a stand up (fica em pé). Quando eu puxava ela pra sentar ela esticava as pernas e não dobrava de jeito nenhum.

Com quatro meses implementamos uma rotina de soneca radical, mas mesmo assim ela não dormia mais que 45 minutos seguidos. Começou a se virar e a dar risada com mais frequencia. Tentou roubar meu cookie um dia. Mãozinha rápida a dela. Ah! E aprendeu a segurar a mamadeira sozinha.

Não lembro nada de muito significativo dos quinto mês. Ela tentava sentar, mas ainda não tinha equilibrio. Sophie le girafe virou seu briquendo favorito. Ela ficou muito mais divertida e gostosa de brincar. Reconhecia nossa voz de longe e abria aquele sorriso enorme.

Seu sexto e mês e o inicio de 2009 veio com sua primeira sentada, na Italia não menos. Aprendeu a comer papinha (feito profissional) e foi então que virou o bebe mais divertido do mundo. Agora sentando ela teve mais liberdade de pegar as coisas e brincar sozinha e começou a interagir muito mais com a gente. Passou a ficar de barriga e se arrastar só que pra trás ao invés de ir pra frente.

Com sete meses suas habilidades engatinhadoras melhoraram incrivelmente e ela se tornou um bebê móvel e muito rapida. Um belo dia eu pisquei e quando vi estava ela lá esfregando dvd alheio no chão. Começou a ir atras dos gatos que docemente aceitam toda a judiação. Ela agarra o rabo, arranca varios pelos e cai de boca. É claro que eu sempre tento impedir. Ensinei ela a bater palminhas e agora tudo é bater palmas. Ela começou a expressar mais sua personalidade, levanta os bracinhos quando quer que a gente pegue ela no colo, e expressa vocalmente quando esta insatisfeita. Seu vocal evoluiu muito e muito rapido, gagaga, dadada, bababa, lalalala, cacaca, ai, é, aaaa e outros sons que não sei colocar em palavras. As vezes parece um pouco que ela tá cantando. E quando chora agora é mamamamama (a coisa mais fofa do mundo com biquinho e tudo).

Fez oito meses na ultima segunda, ainda não engatinha propriamente dito mas varre a casa inteira de barriga. E já viajou pra fora do país duas vezes. Adora detalhes, se ela vê um pontinho minimo no chão vai atras e fica tentando pegar. Não pode ver a mãe sair de jeito nenhum que abre o berreiro. Ela está muito mais manhosa, querendo colo toda hora mas continua um bebe muito doce e feliz. Aprendeu a dar beijo, do seu jeito babento, agarra o rosto da gente com as duas mãozinhas e encosta a boca aberta. Ainda não tem dentinho mas já come de um (quase) tudo. Adora queijo, barley cereal e manga, bricar de peek-a-boo, Sophie le girafe, mamãe, agua e mãos (alias sempre gostou). Odeia: ficar sozinha, colocar o pijama.

Foram só oito meses mas tanta evolução na vidinha dela e eu fico tão feliz de ter acompanhado e feito parte de tudo. Estavamos conversando no Mexico e a M citou algo que aconteceu quando a Baby C era recem nascida e eu falei "eu sei, eu estava lá". E até a propria M se surpreendeu com o fato de que eu tenho estado presente desde o começo. Eu sei o jeitinho que ela gosta de tomar mamadeira e o jeitinho que ela gosta de dormir. Outro dia olhei pra ela peladinha e vi como ela está grande e não paro de me admirar o quanto outro dia ela era tão pequeneninha e fragil, não esticava as pernas e nem segurava a cabeça em pé e hoje tá ai distruindo a casa e judiando dos gatos.

É gente é isso, tinha que compartilhar esse sentimento com vocês porque se tem uma coisa que acontece comigo todo dia nessa minha vidinha de au pair e que importa e muito é a Baby C. E cada dia que passa na vidinha dela é muito significativo porque eu não sei o que o futuro nos reserva. Mas sei que aconteça o que acontecer ela vai pra sempre ter seu lugar cativo no meu coração.

6 comentários:

Tha disse...

Oiie!!! achei seu blog e te linkei tá!? amanha eu entrego meu app =D

amei esse seu post!! até ri das coisinhas da sua Baby C!! hehehe!!

Beijaaoooo

May disse...

Nossa!!! Emocionei... as lágrimas vieram aos olhos. Mto lindo o que vc escreveu e a forma como vc escreveu. Ri mto tb das façanhas de baby c. aiai... crianças são uma dádiva... bjosss

Lici in the sky with diamonds disse...

tu foi pra italia tb? :D haha
ei, quecoisa linda vc falando da baby C. eh a coisa mais linda do mundo, qse choro. =~ ♥

Gisa disse...

Meses sem ao menos ler um blog de AU pair, kerer procurar algo do estilo...sim estou livre...pra mim nao foi la uma grande experiencia, mas sim sei q o meu dever se cumpriu ao dar essa familia pra vc!!..qnd leio suas historias me vejo nelas, e fico orgulkhosa em saber q a baby c ta crescendo...ela eh mha sobrinha ta...hahaha...saudades amiga...te adoro...obrigada desde sempre por tdo!!

Bjuuuu

Gi

Gaby disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gaby disse...

ahhhhhh, carlinha!!! q coisa mais linda!!! lembra q qndo a gente brincava q vc ainda não tinha kid a gente sempre falava q pelo menos vc teria uma ligação mais q especial com ela?? pois é!! é a pura verdade!! eu tô começando a sentir um "apego" agora... tanto da minha parte qnto da das kids... o nic jah nao me chama mais de stupid qndo não faço oq ele qr e as meninas já me ouvem mais e não causam mais tanto problema.. isso mais as demonstraçoes espontaneas de carinho me fizeram perceber q vai ser mais difícil ir embora do q eu pensava..